SOBRE NÓS

A Exclusiva Agência de Conteúdo é gerenciada pela jornalista Priscila Correia com 14 anos de experiência em TV, rádios, sites, jornais e revistas do país, que junta sua expertise a uma forma de atendimento artesanal e muito próximo ao cliente.
Com o objetivo de dar um suporte de comunicação de forma integrada e oferecendo tudo que é necessário para comunicar não só à imprensa, mas ao seu público-alvo, o conceito de sua marca de forma clara, objetiva e de acordo com o perfil da empresa.

ama

Evelyn Rosenzweig

Passos firmes, ela percorre o cenário preferido das novelas de Manoel Carlos como se fosse uma celebridade. A cada esquina, bar ou padaria, Evelyn Rosenzweig é parada por pessoas que a reconhecem nas ruas. Em lugar de receber pedidos de autógrafo, desperta reações diferentes entre seus interlocutores. Metade das pessoas morre de medo daquela mulher alta, cabelos cacheados até a cintura e disposição incansável para solucionar problemas de estrutura e ordem pública. O resto aproveita sua presença para reclamar do guarda, do flanelinha, das caçambas, do sinal de trânsito, dos mendigos, da sujeira na praia e até do preço do pão francês. Mas quem seria essa figura tão poderosa a ponto de instigar tais pedidos e sentimentos? Formada em administração, economia e direito, Evelyn preside as duas principais associações locais: a de moradores e a de comerciantes.

Resoluta em sua missão, ela já esteve à frente, por exemplo, de atos que impediram a construção de shoppings no Clube de Regatas do Flamengo e na área do Jockey Club Brasileiro. No Carnaval passado, foi determinante para a restrição do número de blocos de rua nas redondezas. Na festa de Ano-Novo, evitou que o bairro fosse parte das comemorações do réveillon. Agora, sua mais nova batalha é travada contra os donos de bares e restaurantes que não respeitam normas de silêncio e ocupação da calçada.

Aliás, o Carnaval está aí novamente e enquanto todos aproveitam para relaxar ou se divertir nos blocos, Evelyn passa pelos 7 dias mais trabalhosos de seu ano, atendendo a reclamações dos moradores insatisfeitos com a confusão gerada pelos blocos de rua: bebidas, algazarras, “mijões”, confusão no trânsito etc.

E tem mais, Evelyn não recebe salário para presidir as associações. Faz seu trabalho pelo amor ao bairro! Sua renda vem basicamente de imóveis herdados da família, patrimônio que lhe garante um padrão de vida confortável.

Em seu dia a dia, discussões com flanelinhas e ambulantes são naturais. “O combate à violência não pode ser feito de dentro de casa”, comenta Evelyn, que teve o pai assassinado durante um assalto. Tanta dedicação, claro, provoca represálias. Sua caixa de e-mails vive repleta de ameaças e xingamentos. Vez por outra, o trabalho também lhe traz aplausos. É muito elogiada pelo trabalho que realiza no Grupo de Apoio a Familiares de Dependentes Químicos que criou no 23º Batalhão da PM e recebeu o prêmio “Mulher de Valor, Mulher de Ação”, do Hebraica Rio, em 2012.